O que Worldpacker/Workaway e como você pode trocar a sua hospedagem pelo trabalho em lugares pelo mundo?

  • Compartilhe

Reprodução

Você já parou pra pensar que pode viajar e economizar ou até não gastar na viagem dos seus sonhos??, muitas vezes nos limitamos e até desanimamos de fazer aquela viagem, pois não estamos em um bom momento financeiro ou até porque aquele destino custa um pouco caro. E se eu falar pra você que você pode viajar, conhecer lugares e pessoas em troca de algo que você tenha experiência ou habilidades manuais?

Esse é o conceito do workaway (também conhecido como worldpacker), segundo o site do worldpacker eles são “uma comunidade baseada em colaboração e relacionamentos honestos que tornam a viagem mais acessível para quem procura uma experiência cultural profunda”.

Mas como isso funciona?
Através de uma plataforma on-line, conectando os viajantes – procurando trocar suas habilidades de acomodação – com anfitriões incríveis de todo o mundo”.

Esse conceito de viajar em troca de serviços e hospedagem é bem antiga e ao longo do tempo veio se adaptando aos novos tempos, apesar de ainda ser pouco divulgado no Brasil, países vizinhos e grande parte da América do norte e Europa trabalham com esse conceito já faz um bom tempo e como tudo que é bom vira “moda” vamos explicar um pouco mais como funciona e se é realmente confiável.

Aplicativos e Sites de Acesso
Dentro dos sites/app workaway e worldpacker qualquer pessoa pode se cadastrar para ver quais são os locais e hospedagens que recebem os voluntários, são os mais variados tipos de trabalho, desde as mais simples como trabalhar na recepção, fazer alguns pequenos reparos até mais elaborados como elaborar um site para o destino (caso você saiba fazer isso, de fato) e dar aula na sua língua mãe.

Eu tenho que pagar para me cadastrar/usar?
Caso você queira se tornar um membro do grupo sim, é um valor irrisório perto do que você, de fato, gastaria com hospedagem.

Como eu entro em contato com o responsável do local que me interessei?
Após seu cadastro você terá acesso a todo conteúdo disponível e destinos ofertados, ao se interessar pelo destino, você aplicará sua candidatura e explicará o porquê deseja que o aceitem como voluntário (é importante constar que seu perfil deve ser o mais detalhado possível, com informações relevantes assim você terá um maior índice de aceitação).

Posso procurar referências/reclamações?
O próprio site tem um sistema de referências com os outros membros da comunidade, lembrando que a taxa de manutenção também serve para sua própria segurança, pois assim há uma manutenção constante com locais e também voluntários mal avaliados.

Trabalhar como voluntário é realmente seguro?
Acredito que essa pergunta terá que ser desmembrada para que possa ser mais bem compreendida, de fato, os sites e aplicativos de voluntariados oficiais são seguros e possuem uma grande preocupação com os destinos, locais, voluntários e hospedeiros ofertados.

Em relação ao destino e os cuidados que todo turista deve tomar quando está em um lugar onde nunca visitou, eles são os mesmos, muitas vezes você não falará a língua do local e nem está adaptado com as situações rotineiras do destino. Todo cuidado sempre é pouco, e devemos ao mesmo tempo relaxar e aproveitar as férias, com consciência e atenção.

Acredito que essas sejam as primeiras perguntas que surgem quando ouvimos falar desse programa voluntariado, estamos também elaborando uma outra matéria com pessoas que já participaram desse experiência e toparam contar um pouquinho mais dela pra nós.

Gostaram? Ficaram com dúvidas? Querem dar uma sugestão? Entre em contato conosco! Ficaremos felizes de ouvir o que vocês tem a dizer! Essa será a primeira reportagem de uma série no mundo worldpacker, ainda teremos entrevistas com pessoas que já fizeram esse tipo de viagem e também famílias que viajam juntas como voluntários no mundo todo.

Informações:
Comunidade Facebook: Worldpackers Community
Worldpacker: Site Worldpacker
Workaway: Site Workaway

  • Compartilhe
Por Bianca Costa
Bianca Costa é formada em turismo e completamente apaixonada pro viagens, em 2015 largou tudo no Brasil para viver um ano como au pair na Alemanha.
12.06.2017
Nenhum Comentário